Não quero você por um dia. Fica pra sempre?

Imagem de car, city, and travel

Com toda certeza do mundo eu poderia viver sem você, só que a vida é feita de escolhas. Após quebrar muito a cara, aprendi que nem sempre tomamos as melhores decisões e, por isso, é que hoje lhe digo que suas desculpas já não são necessárias, afinal, não faz diferença. Erros ficam no passado, não é?

Você ficou para  trás, no sentido amoroso. Já te encaixei no meu coração e mente, então você não fica por aí, voando, se infiltrando em todo e qualquer pensamento que eu possa ter. Eu ficava confusa quando isso acontecia, mas agora estou bem melhor.

Você é importante na minha vida porque eu escolhi ter você comigo, o motivo disso ainda é desconhecido. Quando ainda estava confusa, pensei que você era fundamental, como ar. Descobri que não é bem assim, também descobri que nós temos certo controle sobre sentimentos.

Pensei que poderíamos acontecer. Certamente sim, mas por tão pouco tempo, talvez apenas uma vez, e eu não quero te perder nunca. Acredito que eu não suportaria você e você quereria me matar todos os dias. Somos o tipo que fica bem assim, você ai e eu aqui, mas juntos – de certa maneira. Presenças contantes na vida um do outro, mas cada um com sua vida.

Sei que você estará comigo, não sei por quanto tempo mais o fará, já que andei pisando na bola, descontando em você minha frustração de não saber por onde andar, qual caminho seguir. Mas faça o que tiver de ser feito. Se quiser ir, você é livre, mas adoraria se ficasse.

(ficou confuso? eu também. desconfio que ainda não é assim tãaaao claro, mas está indo)

*escrito pra pessoa mais grosseiramente fofa do universo: roubei tua história mesmo nanda*

Praia #3

0010Esse será o último post, prometo! as fotos são variadas e aleatórias. Espero que gostem!

00110012001300140015001600170018

E as metas de 2014 para 2015…

large (1).jpg

Sobre as metas do ano passado:

ο Parar de beber refrigerante. Eu digo com muito orgulho que parei. Consegui. Estou eu aqui diante de vocês com um enorme copo de suco brindando essa pequena conquista. Sério!!!1!

ο Ler mais. Acredito que sim, eu li mais esse ano. Bom, no finalzinho dele. Tanto que minhas prateleiras vão precisar de uma organização geral porque não cabe mais tanto livro ❤

ο Aproveitar meu último ano e também estudar bastante. Aproveitar eu aproveitei, estudar eu tentei. Quando vi que os meus modos de estudo são bastante peculiares mas são o meu meio para aprender, me rendi a eles. Sabe, cada um tem o seu jeito de aprender, seja escutando, lendo, escrevendo… Eu aprendo com musiquinhas e piadinhas, conversando sobre a matéria e vendo qual é a utilidade daquilo no dia-a-dia (que explica também minha dificuldade em algumas matérias).

ο Começar a fazer um curso. Eu entrei no curso de fotografia, porém ocorreram algumas coisas e eu tive que abandoná-lo. Mas EU JURO que não foi por preguiça ou honrando minha mania de abandonar as coisas que eu começo.

ο Fotografar mais. EU TIREI FOTO BAGARAI. Meu Instagram e o Facebook estão maravilhosos.

ο Terminar o que começo. Estou conseguindo. Tanto que meus 12 meses sem refrigerante são provas vivas disso. Também minhas pinturas, projetos e ideias. Estou orgulhosa de minha pessoa.

ο Fazer alguma viagem. Não foram muitas, mas fui em Atibaia com meu namorado (e adorei), fomos em Tiradentes e São João Del-Rei com a escola e no último fim de semana de novembro fui pra Ouro Preto!

ο Ter outro bichinho de estimação. Pirulito, meu peixe, morreu. Ele meio que se suicidou com as pedrinhas do aquário ou sei lá. Maaaas, eis que dia 28 de Agosto, os filhotes da Valentina (cachorrinha da Carol), nasceram. Eu como boa tia fui visitá-los e fiquei apaixonada com eles. Ariel, Anttonela, Atena e “Apolo” eram lindos, com olhos enormes e pancinhas manchadas. A criatura de quatro patas e peluda que conquistou meu coração e foi pra minha casa dia 15 de setembro foi o Jhonny (antigo Apolo). E EU ESTOU EM AMOR ETERNO POR ELE ❤

ο Meu quarto do meu jeito. Não rolou. Por falta de dinheiro, tempo e paciência, meu quarto continua o mesmo. Talvez com mais bagunça e com mais coisas na parede, mas sem mudanças mais radicais.

ο Fazer o Carpe Diem crescer ainda mais. Ha. Não deu né galerê. Mas estou com uns projetinhos em andamento. Por motivos de falta de tempo por causa da escola, e que grazadeos ano que vem vai sobrar (eu acho), não podia ficar postando muita coisa e estando mais presente aqui no blog. Ano que vem #vemcursinho, ou seja abandonei o CD atoa mesmo.

Então, foi isso pessoas. Verei se faço minhas metas pro ano que vem depois, porque foi muito divertido ao longo dos acontecimentos eu ir cortando mentalmente as coisas que aconteceram conforme eu queria. Dá uma sensação de trabalho feito, como por exemplo na meta de parar de beber refri, que era uma coisa que só dependia de mim, e também uma felicidade estasiante quando acontece algo de repente mas que estava nos seus planos, como no caso do Jhonny ❤

Enfim, beeeeeeeeeejo galerê

 

Recomeçando. E aí?

oie

Aquele tempinho que pedi pro blog terminou 😉

Estamos resolvidos agora, não vamos mais brigar, nem terminar e nem ficar de rolo. Somos um caso sério e é oficial.

Voltei. Sem mais delongas, vou explicar o motivo do meu pedido de tempo. É que eu estou no ultimo ano do Ensino Médio. E estou fazendo coisa pra caramba. Coisas que eu não tinha certeza de que tinham uma finalidade, se eu queria mesmo. Eu estava um caos. Internamente e externamente também. Então eu pedi um tempo pra me organizar. E admito que foi a pior coisa que eu já fiz.

E agora, voltando ao meu posto de tia Lubs, manda chuva do Carpe Diem, dou um conselho a todo mundo que tem que tomar uma grande decisão: não abandone o que é importante pra você. Se, por exemplo, você tem que se dedicar ao máximo pra uma grande prova, você não tem que abandonar as coisas que são importantes pra você e estudar 24 horas por dia. Se fizer isso seu cérebro entra em colapso. Eu tive tique-nervoso por uma semana direto. Faça uma lista de prioridades, nem que seja mentalmente. O tamanho do seu sucesso é medido pelo seu esforço, mas esse esforço não pode te matar de nervoso porque senão você não vê o sucesso chegar. Então tenha um tempo pra você e pras suas coisas. Não abandone-as nunca se isso te deixar infeliz.

Agora que voltei (ufa), eu voltei mesmo. E mesmo que eu demore uma semana pra postar alguma coisa, fiquem tranquilos: não vou abandonar meu amorzinho nunca mais.

Por esses dias, estarei respondendo algumas tags que blogs fofos e amigos me indicaram (enquanto eu estive ausente), postando alguns textos e poesias, respondendo alguns e-mails por aqui (as pessoas permitiram ok?), falando um pouco mais sobre aleatoriedades e tatuagens e piercings e livros, filmes…

E me escreva um e-mail (blogcdcontato@gmail.com), me segue no We Heart It, no Instagram e curte a página no Facebook pra ficar sabendo das atualizações do CD ❤

É isso pessoas. Espero que gostem da minha volta. E se quiserem me indicar algumas tags eu estou adorando isso. Bjs

#aletradaspessoas

Eu vi e achei bonito. Alguns poetas, amigos meus, blogueiras, páginas do Facebook… Muita gente postando fotos das suas letras. Com a nossa mania de chat, whatsapp, e-mail e tantas outras coisas virtuais, as cartas, bilhetinhos, mensagens escritas a mão sumiram de vez. Não reconhecemos mais as nossas próprias letras, que, querendo ou não, fazem parte da nossa identidade.

Já não escrevo mais bilhetinhos num papel achado por aí, pra avisar minha mãe de que fui na padaria. Agora ela tem whatsapp, e é só mandar uma mensagem. Trabalhos de escolas não são mais á mão, são na maioria impressos ou em power point. Tudo bem, bobeira a minha de pensar que deveria ter continuado do jeito antigo, comigo passando tardes e noites escrevendo meu trabalho de 100 páginas, com a mão doendo e o lápis fazendo bolhas nos meus dedos. Mas é que não deveria ter sumido assim.

Minha letra é desajeitada, misturando cursiva com forma. Mas é minha. Ninguém tem a letra igual. Quando escrevemos algo, penso que uma parte de nós fica ali. Acho lindo até hoje pessoas que me mandam bilhetes no dia do meu aniversário. Guardo todas as cartinhas que recebi até hoje numa caixa. Afinal, uma coisa que a gente não conhece mais é a letra das pessoas. 

A campanha #aletradaspessoas, criada pela ilustradora Clarinha Gomes, convida pessoas a compartilharam a sua letra com o mundo. Aqui vai a minha:

InstagramCapture_e1276278-e08e-49bc-b705-00f647a3deea

Bêjo galerê ❤

As amizades vem e vão…

dedede

Primeira postagem de fevereiro! Boa volta ás aulas galerê, boa volta ao trabalho e ao cursinho e as coisas que ficamos de férias!

E quando mudamos de sala? Quando mudamos de escola, cidade, estado? As amizades sofrem muito com isso.

Quando alguém vira nosso amigo, começamos a compartilhar histórias, sentimentos, risadas, ódios (por aquela bitch do colégio), coisas assim. E inevitavelmente, sentimos muita falta quando somos obrigados a nos afastar nem que seja um pouquinho dessa pessoa que virou parte da gente.

Com certeza já aconteceu contigo, comigo e com a tua vizinha. Alguns casos são mais abaladores, outros dão pra superar mais rápido. Quando eu me mudei pra Lagoa Santa, foi um pouco desesperador. Não deu tempo de despedir de ninguém (foi uma surpresa pra todo mundo), eu não peguei telefone de ninguém (na época eu era uma metida a hippie que não gostava de celulares, e-mail e redes sociais), e ia pra um lugar que eu mal conhecia, onde eu só ia pra visitar a minha avó. Tive que dar um jeito. Minhas melhores amigas estavam em Belo Horizonte. Em Lagoa Santa foi muuuuuuito difícil me enturmar porque as panelinhas estavam todas completas (eu como sempre fiquei com os desajustados haha) e o pessoal lá é um pouco recluso, não puxam assunto se você não puxar e eu sempre fui tímida pra caramba. Então, todo fim de semana que eu pudesse eu passava em BH. Teve uma vez, nas férias que passei quase um mês na casa da minha amiga haha! Mas quando não podia me encontrar com as antigas amizades, eu sofria. O jeito foi, então, fazer amizades novas.

Conheci pessoas muito legais com essa experiência sabe? Foi lá que eu comecei o meu processo de sair da minha “casca” e dar as caras ao mundo. Pessoas com sotaque diferente, com modos de viver diferentes dos meus, amizades que duram até hoje, e outras que sumiram no ar. Quando voltei pra BH, coloquei na cabeça que não iria ficar presa as minhas amizades do passado apenas, e que iria tentar trazer novas pessoas pra minha vida. Foi o que eu fiz. O meu primeiro grupão grande (mesmo) de amizade. Maaaaaaaãs, como nem tudo é perfeito, fomos separadas. E eu vou te contar, o grupo por mais amigas que fôssemos, tinha lá suas divergências e suas próprias panelinhas dentro de si. Mas a troca de salas trouxe coisas boas também e não só ruins. Eu comecei a perceber que tínhamos muito mais coisas em comum que pensávamos, eu podia aprender bem mais com as meninas e poderíamos ser mais unidas se quiséssemos. As coisas ruins são óbvias: separamos de duas amigas, perdemos o assunto, e aos poucos fomos ficando cada vez mais diferentes.

Como qualquer relacionamento, uma amizade só vinga e se torna duradoura se a gente fizer com que ela seja assim. Se quisermos sempre ter assunto, não podemos ficar estagnadas e paradas no tempo. A gente tem que correr atrás, criar assunto se for o caso, compartilhar ideias e pensamentos, sair junto, conversar sempre, sabe? E dói pra todo mundo se afastar de quem gosta. Doeu pra gente, doeu pra elas, doeu até pras minhas notas.

Então te darei dicas (que consegui parando um pouquinho pra pensar e com pessoas ao meu redor) pra recuperar o tempo perdido e aquelas pessoas queridas e também pra não deixar a amizade morrer:

– Procure sempre estar em contato com seus amigos. Independente de qual meio você utilize. Pode ser no Facebook, Whatsapp, ligando mesmo ou até mandando um sinal de fumaça.

– Quando você sai com seus amigos, querendo ou não, compartilham sentimentos e lembranças. Então tentem sair mais. Se estiver sem grana até pra ir pra esquina, faça uma noite do pijama ou se encontrem no Parque Municipal pra tirar foto.

– Quando ver alguma matéria interessante daquele assunto que você sabe que seu amigo gosta, mande pra ele. Isso mostra que você o conhece e lembra dele.

– Se perceber que a amizade está num estado de calamidade, por favor, conversem urgente sobre isso. Tentem resolver juntos. P.s.: dar gelo não resolve nada. Teu amigo pode pensar que você tá com algum problema e não quer falar, porque afinal, vocês são amigos, se tivesse acontecendo algo você iria chegar e falar, certo? P.s.s.: Fique de olho também, galerê. Se perceber que aquele amigo teu tá calado, se afastando e não falou nada até agora, pode ser que ele achou que assim iria chamar sua atenção. E mesmo que não for sobre a amizade, pode ser algum problema e talvez você possa ajudar de alguma forma.

– Assuntos aleatórios que todos nós podemos usar quando o nosso próprio estoque acaba: comida, música, algum evento na cidade (aproveita e chama ela), algum caso engraçado, matérias interessantes do Catraca Livre, filmes, roupas, tempo, um lugar novo que talvez vocês podem conhecer, sua vida, planos para o futuro, aliens, essas coisas… Enfim.

O post ficou grande mas espero que eu tenha ajudado.

Tá afim de desabafar? Manda um e-mail pra galera do Milkshake no milkshakecontato@gmail.com ou se quiser manda pra mim aqui no blocdcontato@gmail.com , será um prazer ajudar você 😉 Se tá afim só de conversar, manda um e-mail também que eu tô atoa. Ah e pra mandar fotos de tatuagens e piercings, e se quiser participar das entrevistas que estão rolando aqui no blog, pode mandar e-mail também ou uma mensagem na página do Carpe Diem aqui.

Enfim, bêeeejo.

Enfim, bêeeeejo pra todo mundo aí.

Sobre aquele desejo de viajar o mundo todo

18

Mas me bate um desespero

Quando paro pra pensar

“Porra, o tempo tá passando!”

E eu nem fiz nada ainda

Penso eu.

Queria era sair correndo

Pelo mundo…

Sabe? Vivendo…

Sem perder tempo com conversa

Se der vontade

Só ir.

Com a mochila nas costas sair.

Fazer o “ali”

Ser Nova Iorque.