Sessão pipoca: primeiros filmes do ano

large (4).jpg

Hoje eu não acordei muito bem. Odeio esses malditos Dias Picles que insistem em surgir no meu calendário, me trazendo medos de coisas que não existem, inseguranças e uma vontade enorme de chorar assistindo filmes que eu sei que vão ligar o “on” na minha fábrica de lágrimas.

Primeiro, eu quis assistir o filme que a Fernandíssima mais me indicou em, pera, todos esses anos desde que lançou? Sim. A Escolha Perfeita adoçou um pouquinho o meu dia amargo.

large (3).jpg

Sinopse do AdoroCinema: O The Barden Bellas é um grupo formado apenas por garotas, que apostam no visual perfeito e em sucessos pop para atrair o público da escola. Entretanto, após uma apresentação desastrosa na competição de fim de ano, suas integrantes decidem repensar o grupo. É quando surge o convite para que Beca (Anna Kendrick), uma DJ aspirante que não tem o menor interesse na vida colegial, integre a nova banda. De início Beca descarta completamente o convite, mas após conhecer Jesse (Skylar Astin), que integra uma banda formada apenas por garotos, ela resolve aceitar o convite e passa a ajudar as integrantes do The Barden Bellas a encontrar um novo visual.

É um filme maravilhoso, daqueles gostosos que descem como água? É muito engraçado, diferente (tá, bem mais ou menos: é um musical, da faculdade, mas os cantores são cantores acapella) e te deixa com vontade de cantar junto.

Porém, me deixou com saudades de todo mundo. Quando me disseram que você nunca vai esquecer o seu Ensino Médio, não acreditei nadinha. Pensei que fosse apenas passar, como todos os anos até ali. Mas o último ano, mesmo que não tenha sido maravilhoso nos termos convencionais, foi maravilhoso pra mim, a sua maneira. E quanta gente deixou meu coração pequenininho com a promessa de “nos vemos um dia”…

Enfim. Como não consegui soltar aquele nó na garganta e sim aumentando ainda mais, comecei a ver Simplesmente Acontece, com a Clary de Cidade dos Ossos (LEIAM O LIVRO, ESQUEÇA O FILME) e com o Finnick  de Jogos Vorazes.

Aí, o chororô reinou. Estou degustando devagar a mensagem do filme e acho que só vou conseguir engolir amanhã.

mn.jpg

Mais uma do AdoroCinema: Os jovens britânicos Rosie (Lily Collins) e Alex (Sam Claflin) são amigos inseparáveis desde a infância, experimentando juntos as dificuldades amorosas, familiares e escolares. Embora exista uma atração entre eles, os dois mantêm a amizade acima de tudo. Um dia, Alex decide aceitar um convite para estudar medicina em Harvard, nos Estados Unidos. A distância entre eles faz com que nasçam os primeiros segredos, enquanto cada um encontra outros namorados e namoradas. Mas o destino continua atraindo Rosie e Alex um ao outro.

O filme é bem parecido com o meu queridinho “Um Dia”mas ao mesmo tempo é bastante diferente. Tem a história dos amigos desde sempre que se apaixonam mas não querem estragar a amizade com os próprios sentimentos, então seguem a vida levando aquela amizade (que é bem na cara que não é só aquilo), levando vidas superdiferentes. Também me fez querer ler o livro (mesmo que a autora seja a mesma que escreveu o péssimo P.S. Eu Te Amo).

Eu me apaixonei pelos dois e recomendo a você, que talvez esteja num Dia Picles, ou melhor, PEPINO.

Motivo: conto pra vocês em outro post. Beeeijo ❤

Tag: Viciada em Filmes

kluiyt

Fui indicada pelo blog Cultivando Ideias a responder essa tag. Confesso que fiquei um tempinho enrolando até me decidir todos os filmes que iria colocar haha! Então vamos lá:

Último filme que você assistiu: Êxodo – Deuses e Reis. Meu namorado e minha mãe todo fim de semana escolhem um filme, e esse foi o último. Gostar eu gostei, mas não é um daqueles filmes que eu colocaria na minha listinha.

exodus_gods_and_kings_movie-3840x2160

Um filme que você queria muito ver: Eu gosto de assistir filmes de terror. Mesmo que não consiga dormir a noite as vezes, mesmo que me assuste com qualquer coisa depois. Exorcistas do Vaticano eu queria muito ver porque me parece muito bom.
7786
Um filme para rir: MINHA MÃE É UMA PEÇA! Caramba, eu vi esse filme com minha mãe e tinham váaaaaarias coisas que me fizeram acreditar que aquele filme foi escrito baseado nela! O tanto que eu ria quando eu falava “mãe, você faz muito isso” e ela fechava a cara, o que só me fazia rir ainda mais… ❤
dicasdaerica.minhamaeeumapeça
Um filme de suspense: A Garota Exemplar. É um filme inteligentíssimo que eu adorei tentar adivinhar o que aconteceria a cada cena! *P.s.: estou louca querendo ler o livro.
Gone-Girl-2014-film-poster
Um filme para chorar: Sou uma manteiga derretida. Choro em muitos filmes mesmo, desde animação até filme de terror. Mas um filme que eu me acabei de chorar mesmo foi o Forrest Gump! Lindinho demais ❤ “CORRE FORREST”
forrest-gump-poster-wallpaper
Um filme para ver com a família: Gente Grande, acho que agrada todo mundo. É um daqueles filmes que deveria passar todo domingo á tarde.
07501106Um filme de romance: Romances antigões me atraem haha! Sou platônicamente apaixonada pelo Richard Gere e George Clooney, esses caras que eram galãs na época da minha mãe, sabe? Acho lindo. Um filme que eu indico a todos é o Uma Linda Mulher. 20417708.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxxUm filme lindo: Não sei porque mas quando li essa definição me veio esse na cabeça. Então vai ele mesmo. Adoro a Sandra Bullock, pra qualquer tipo de filme. Com esse ela definitivamente entrou pro meu ranking de “atrizes preferidas”. (e, sim, eu chorei).
the-blind-side
Um filme para morrer de medo: Acho que o último filme de terror que me deu medo foi Livrai-nos do Mal, porém indico Padre a todo mundo que não queira dormir. hqdefault
Um filme para ver no feriado: EU ACHO ESSE FILME A CARA DE UM FERIADO PROLONGADO. Aliás, acho comédias românticas a cara de feriados prolongados. Já falei sobre esse filme lindo aqui no Carpe Diem, dá uma olhada.
 60341_Papel-de-Parede-Como-Perder-um-Homem-em-10-Dias-How-to-Lose-a-Guy-in-10-Days_1024x768Um filme de animação: Sou suspeita a falar sobre animações, porque amo esse tipo de filme, seja da Disney Pixar ou da Dreamworks ❤ Porém uma animação que eu não me canso de assistir é Shrek ❤filme_11144Um filme que todo mundo tem que ver: A Sociedade dos Poetas Mortos. 
64acbed9dce4cd16898f6a4c7cdeb16c_jpg_290x478_upscale_q90
Um filme para garotas: Assisti esse filme na casa da Belli Burton, linda, maravilhosa, enquanto ela escovava meu cabelo. E eu me senti meio que no filme Patricinhas de Bervely Hills. (Nesse dia também, fotografamos dois looks do dia, que você pode ver aqui no Dear Belli).
the-duff-2015-tt1666801-poster
Desculpem-me mesmo pela demora (e até pelo pequeno sumiço repentino). Obrigada pela indicação Cultivando Ideias!
Quem tiver vontade de responder a tag, sinta-se convidado e é isso aí, pessoas.
Bêjo galerê.

Sobre: Moulin Rouge – Um amor em vermelho

k.ljvhfUm escritor pobre. Uma dançarina de cancan. Um duque. Um mundo maravilhosamente mágico e obscuro com personagens do submundo parisiense.

O escritor, Cristian, muda-se para Paris em busca de uma história sobre o amor. Inesperadamente um homem fura seu telhado no quarto de hotel e assim sua história se envolve com a do Moulin Rouge. Como é um escritor e o pessoal do Moulin Rouge precisava de uma peça, tudo veio a se encaixar. Nesse mesmo dia é apresentado a Satinne, a dançarina sonhadora. Mas também nesse mesmo dia, o chefão do MR iria apresentar Satinne ao Duque e ela terá de envolvê-lo afim de fazê-lo bancar o MR.
Surge a partir daí um triângulo amoroso. Cristian, Satinne e o Duque.
Satinne e Cristian se apaixonam instantaneamente e eles levam seu amor escondido durante os ensaios da peça. Mas o Duque fica cada vez mais enciumado por não ter Satinne do jeito que queria. E assim vai, até que no último dia do ensaio, fica claro para o Duque que ele nunca teria Satinne se Cristian ficar no caminho.
O filme é bom. Tem muita cantoria e danças e essas coisas dramáticas, mas é bom. Achei interessante como falam de si mesmos como pessoas diferentes do resto do mundo, se tratam como “criaturas do submundo”. Achei legal essa expressão.
kçilhgktf
Gostei também por não ter um final óbvio, um final que todos esperam. No meio do filme tem uma coisa que muda a história toda, e traz a ela um toque trágico. Mas, como é uma história de amor, como não ter tragédia?
Enfim, vale a pena ver.
mnbvcfgtyui

Sobre: Almost Famous

khbgh

“Então… o que você gosta na música?”

llooiiuyg

Em plenos anos 70, uma mãe neurótica com a nova onda do rock tenta criar seus dois filhos presos em um mundo completamente paralelo. Mas quando a filha mais velha decide sair das asas da mamãe e se abrir para o mundo, ela deixa uma pequena porta aberta para seu irmão mais novo. E é essa porta que transforma completamente a vida de Willian Miller.
Com seus 15 anos e a paixão pelo rock, Willian escrevia para um jornal local, criticando bandas e músicas. Quando se mostra realmente bom no que faz, é contratado pela Rolling Stone para escrever um artigo sobre uma nova banda da qual o menino já era fã: os Stillwater.
Na excursão pelos Estados Unidos, acontece muita coisa. Caramba, QUANTA coisa.
n bhvgfc
Mas, o que realmente me impressionou no filme, foi a… sei lá. Não tem uma palavra pra isso. Mas foi o seguinte: quando enfim conseguimos ver que nossos ídolos são na verdade pessoas como a gente, quando enfim conseguimos ver que há amores que se passam por sexo e há sexo que se passa por amor, quando enfim conseguimos ver que a verdade é sempre a melhor opção.
Há alguns fãs, que são “”””””””””fãs”””””””””””. Há aqueles artistas que fingem ser alguém que na verdade não são. Há pessoas que vão querer te comer vivo ao confiar em você, mas também há aqueles que confiam em você sem nem ter a noção disso. Há pessoas motivadoras, puras, vívidas, graciosas e de uma alegria constante em nosso mundo, que felizmente é o mundo real e nos permite desfrutar disso tudo. Existem Penny Lannes, Russel Hammonds e Willians pelo mundo afora.
Me apaixonei de verdade com esse filme, porque ele não te ilude. Tá, em ALGUMAS COISAS ele não te ilude. Por mostrar a paixão pela música e pelo mundo em que algumas pessoas (sim, eu admito) já quiseram estar. Mas também por ser mais um daqueles filmes inspiradores, que nos fazem querer ser nós mesmos e ser grandes assim. E ainda, nos incentivar a correr atrás.
E fim.
jknhbgytrfde
*P.s.: encontrei esse texto no meu e-mail, é do ano passado, desta mesma data 😉

Sobre: Um amor a toda prova

Posso recomendar um filme totalmente aleatório que veio parar aqui no blog como se vindo do além? Pois bem.

Um belo sábado fui a casa da linda da Belli Burton, conheci umas amigas dela e fomos assistir a um filme, enfim. Primeiro que eu estava totalmente dura na cama cheia de garotas (tinha uma 6?) e eu estava sentada e com o pescoço meio torto… Mas começamos a ver o filme – depois de ver o trailer dele e do outro que eu vou ver agora. Como tinha o cara gato do filme (também surgido do além, aquele Diário de Uma Paixão – João, ❤ ), eu já me interessei bastante pelo filme e também porque mal tinha começado e já tinha soltado umas gargalhadas.

O filme conta principalmente histórias de amor (dã). Cal descobre que sua mulher o traiu (David Linghagen!!!!1!), e a vida perfeita desmorona de repente. Então, num bar, ele conhece Jacob, um lindo mulherengo que ajuda Cal a pegar mulheres e ir pra cama com elas. Enquanto isso, seu filho Robbie está apaixonado pela babá, e ela morre de amores pelo Cal. Hannah, que está com a vida planejada, tem seus planos destruídos – ou seus olhos abertos – depois que o (babaca) do seu namorado decide pedir um tempo, ao invés de pedi-la em casamento, e com isso ela recorre ao Jacob depois de ficar p da vida. Acontece que o mulherengo se apaixona por ela e… Já viu né?

OMG. Muito lindo.
OMG. Muito lindo.

Não, não viu não. Porque depois dessa confusão, que é engraçada pra caramba, acontece ainda mais confusões.

Posso só adiantar que, como uma boa comédia romântica, o amor no final vence.

Vale a pena ver. Esse é mais um daqueles que você pega pra ver num domingo a tarde: leve, que te faz rir e que te deixa com uma sensação boa depois.

Passei só pra falar que eu adorei o filme.

Enfim, assistam!

Bêjo.

Cinco: Filmes com Anne Hathaway <3

caaaaaah Anne é uma das minhas atrizes preferidas. Escorpiana (12 de novembro), já foi indicada a várias premiações e ganhou um Oscar em 2013 pelo filme Os Miseráveis (que ainda não assisti). Me conquistou com o filme O Diário de uma Princesa e a partir daí me apaixonei. Segue aí uma lista com meus cinco filmes preferidos dela ❤ – Um Dia cah12 cah11 cah10 Sem dúvidas é atualmente o meu filme preferido com ela. Conta a história de Dex e Emma, que se conheceram dia 15 de julho, depois da formatura. Desde então, nessa mesma data vemos a vida desses dois durante 20 anos. A vida deles segue por rumos diferentes, ela sempre lutando para se dar bem, trabalhando feito louca e com aqueles vestidões típicos de pessoas tímidas; ele conseguindo tudo fácil, fama, dinheiro, mulheres… Mas a vida dá voltas e… Enfim, não é apenas um romance clichê. É um filme lindo, lindo e lindo. (Quero ganhar o livro agora ❤ ) – Amor e Outras Drogas cahnolugarda1 cah1 Meu segundo filme preferido, fica quase lado a lado com o Um Dia. A história é louca, divertida e maravilhosamente gostosa de se ver. Jamie (esse lindo aí) é um daqueles caras galinhas, pegadores, garanhões que consegue um emprego num laboratório farmacêutico, com a função de fazer os médicos recomendarem os remédios da empresa para seus pacientes. Assim ele conhece a excêntrica Maggie, que sofre de mal de Parkinson. Existe aquela reviravolta típica de comédias românticas… Mas o filme conquista a gente pela personalidade da Maggie (e pelo Jake Gyllenhaal, mas enfim). – Noivas em Guerra cah8 cah9 São duas amigas que desde crianças ficam planejando o casamento. As duas sonham em casar no mesmo lugar, no Hotel Plaza, o local onde os mais badalados casamentos de Nova York ocorrem. Mas… Aos 26 anos as duas irão realizar o casamento dos sonhos… Porém ou é um ou é o outro. O QUE FAZER? Claro, sabotar os planos da minha ex-amiga pra eu casar no Plaza. Sério, morri com o que as duas aprontam uma com a outra ❤ – Diário de uma princesa cah4 cah2 Como disse, foi com esse filme que ela me conquistou. Eu, nessa época, estava me interessando por filmes e livros… Quando descobri que minha mãe tinha quase toda a coleção, enlouqueci – mas só fui ler uns cinco anos mais tarde. Mas sobre o filme. Eu nem lembro porque eu gostei (ignorem a parte que eu tinha acabado de descobrir que eu era um ser humano e tinha sete anos quando vi). Pra facilitar vou falar dos dois filmes ~que não sei definir a história de cada um. Mia tem quinze anos, vive com sua mãe e tem um gato muito fofo, quando repentinamente descobre que seu pai é na verdade príncipe, e ela, uma princesa. Desde então passa a receber aulas de “como ser uma princesa” dadas pela sua avó. A avó ensina a ser uma lady e Mia ensina a avó a ser uma típica garota americana, é lindo! Descobrir sobre si mesma também é um assunto legal que o filme trata, assim como o primeiro amor e a adolescência. – O Diabo Veste Prada cah6 cahnolugarda12euacho Olha, não é meu filme preferido com a Anne (por causa do Um Dia), mãaaas é um dos meus filmes preferidos pra vida toda e enfim. É um filme que todo mundo tem que ver, sem exceções e sem aquele papo de “só quem vai mexer com moda”. Nãnãnão. Se um dia você pretende trabalhar, ser alguém, você terá de lidar com pessoas e, sim, algumas pessoas serão megeras, outras nem tanto e outras estarão contigo pro que der e vier. ADORO a Meryl Streep nesse filme. Ela diva. ELA É DIVA. Andy conseguiu o emprego que “qualquer garota morreria para ter”, mas, é um mundo totalmente novo, cheio de regras, nomes estranhos e vestidos coloridos. Ela aprende que as vezes pra ir para o topo, algumas pessoas fazem literalmente de tudo. E que você está no meio, então é lutar ou morrer. Lindo, maravilhoso, amor da minha vida esse filme, mais que indico, se pudesse obrigaria todo mundo a assistir ~masnãoposso~.

cah5
Ela também HAZOU no filme Alice in Wondreland e voltará em 2016 ❤
cah7
Desculpa, Anne, mas não gostei muito do seu papel como Cat-Woman. Eu adoro você E a Mulher-Gato, mas a junção não rolou.

Enfim, pessoas, espero que tenham gostado! E vai rolar mais cinco desses por aí ❤ Bêjo

Sobre TIMER: A contagem regressiva para o amor

S.TCRA

 

*Primeiramente queria dizer que o filme não tem um final bacana.

 *Segundamente, e não sei se essa palavra existe, só peguei uma mensagem mais ou menos no meio do filme. E definitivamente, não era essa a mensagem que o filme passa, na realidade. Agora, duas coisas embutidas no “segundamente”: 1) A mensagem real do filme, na qual eu não acredito por razões desconhecidas e 2) minha mensagem captada, que acredito pelas mesmas razões.
S.TCRA3
*Terceiramente, também não sei se existe mas tá valendo, sinopse: “E se fosse possível fazer a contagem regressiva até o momento em que você vai conhecer sua alma gêmea? Usando um revolucionário aparelho chamado TIMER, Oona O’Leary (Emma Caulfield) acha que vai saber exatamente quando vai encontrar o amor de sua vida. Só que seu TIMER está sempre em branco, o que significa que sua alma gêmea não usa o tal reloginho. E quando se apaixona por Mikey (John Patrick Amedori, Gossip Girl), cuja contagem regressiva é de quatro meses, Oona resolve ignorar o aparelho e aproveitar essa deliciosa e imprevisível experiência chamada amor.”
1) O amor é algo cientifico, premeditado, que não tem nada a ver com suas escolhas e ultrapassa toda nossa crença que o amor é algo nosso, único e puro.
S.TCRA2
2) O AMOR É O AMOR! Não importa a idade, a hora, a forma em que acontece, com quem acontece. Só… acontece. É sim, algo mágico, algo que vale a pena esperar a vida inteira. Algo que talvez alguém realmente espere a vida inteira. É uma surpresa agradável, uma coisa inesperada, um… presente. Não é como nos contos de fadas, um cavaleiro que te salva de uma torre e só por isso ganha se amor eterno. É algo em que se cai devagar e sem saber. Como se a pessoa pela qual se apaixona fosse milk shake, você dá a primeira golada e é estranho, gelado, doce demais. Mas agora que você está com ele nas mãos tenta toma-lo. E aí, você vai bebendo e conhecendo o gosto, que é estranhamente gostoso, gelado, mas de um jeito bom, e doce… Não doce demais, mas doce, de um jeito que ameniza sua casca, antes amarga. É assim. Pelo menos comigo. Pelo menos na minha cabeça.