Explicando o amor platônico que todo mundo sente

large

Amor platônico. Vamos começar com o nome. O filósofo grego Platão considerava o amor platônico um amor “puro”, sem paixões cegas ou materiais, focado na beleza do caráter, da virtude e da inteligência. Ele também criou uma teoria que diz que existem dois mundos: o das ideias (que seria um mundo perfeito, utópico – só usei essa palavra porque ela é linda) e o mundo real ( que seria a cópia imperfeita do mundo das ideias). Então, quando nos referimos á algo platônico, podemos pensar em algo perfeito, mas que não pertence a nossa realidade e sim ao mundo das ideias.

É, o amor platônico é aquele em que você se idealiza toda linda de vestido branco e coroa de flores com seu amado de armadura e cavalo, andando de mãos dadas numa floresta mágica. Maaaaaas… Também pode ser aquela coisa que você sente por um professor, por exemplo. Uma admiração muito grande, sem nada sexual ou realmente amoroso, mas algo relacionado a inteligência ou as ideias dele.

Como a expressão se expandiu semanticamente, ela pode significar, além dos exemplos que eu citei, um amor impossível, difícil ou não correspondido.

Simplificando, o amor platônico é um amor que não se aproxima, não se toca, não se envolve. É fruto de idealizações e fantasias, onde o ser amado é perfeito, sem defeito algum, intocável.

Eu como boa pessoas exagerada e também como boa ladra de histórias alheias, tenho vários e vários casos de amores platônicos pra contar. Acho que todo mundo já teve um amor platônico na vida. É como dizem: “viver é uma arte, amar faz parte”.

Gostaram do ‘momento cultura inútil’? Que tal me contar sobre seus casos de amor?

Bjs

Anúncios

And I’m sad. (again)

1

Recebi um “e-mail” e aqui estou eu indo respondê-lo. Caro(a), amigo(a) que me escreveu, estou te respondendo pelo blog. Sinta-se a vontade pra ler a resposta. E pessoas, leiam. Talvez eu ajude vocês com alguma dessas palavras, ou não, talvez você ajude alguém com elas. Enfim.

Quando eu fico triste, realmente na bad, não é por um só motivo. É uma confusão de um bilhão de coisas se passando na minha cabeça que eu não consigo ignorar mais, nem disfarçar. É quando me encontro num daqueles Dias Picles. Quando não consigo ignorar sentimento algum, fico pensativa e me perguntando se sou boa o suficiente pra estar aqui, se realmente vou conseguir. É uma crise existencial danada.

Mas, eu geralmente tento aproveitar meus Dias Picles pra escrever poemas, textos, pra ver filmes e conseguir realmente enxergar o que eu quero passar pra mim mesma… Se você não consegue vencer essa bad, aproveite e tire um Dia Picles. Tente canalizar sua tristeza e todos os outros sentimentos. Não deixe eles soltos por aí, tente entender o maior motivo de você ter ficado assim. E então, resolva.

Conversar com os amigos também ajuda. Sabemos que é difícil falar sobre o que sente, mas não custa nada tentar. Tente falar com seu amigo, aquele que sempre te escuta, pra ver se melhora, se alivia. Vai funcionar. E se não funcionar, pode pelo menos se distrair.

Tente fazer uma lista com as coisas que te fazem feliz. Tipo, aqueles potinhos de lembranças felizes ou uma caixinha de lembranças, essas coisas costumam ajudar. Aí, quando você se sentir assim, abra a caixa/pote e leia algumas coisas, “abra a felicidade”, haha. Se achar que lembranças felizes não ajudam, que tal frases inspiradoras? Daquelas que te fazem levantar a cabeça. Ou até fotos de pessoas especiais, que você admira, seus amores… E até mesmo, peça para as pessoas mais importantes pra você escreverem um elogio, um recado, algo bom. Toda vez que você ler, vai se sentir mais forte.

Procure se cercar de pessoas alegres e que te fazem bem. 

Tente se distrair. Assista um filme, saia pra correr, jogue vídeo-game (Guitar Hero é ótimo pra isso), escute música (mas músicas pra levantar a estima, viu? Por mais que aquela música do Metallica seja boa, convenhamos que você não quer cortar os pulsos). E por falar nisso…

Não faça nada que te prejudique. Se você está assim porque está se achando um lixo, para. Para, mas para agora. Pessoa que está lendo isso, se você se sente assim escute bem (leia bem, tanto faz) o que eu vou dizer (e se você não se sente assim mas tem um amigo que tá na pior, manda ele acessar o blog agora): VOCÊ NÃO FOI MANDADO PRA ESTA VIDA, PRA ESTE PLANETA, PRA CÁ, POR ACASO. Se fosse assim todo mundo ia se matar. Cara, deixe-me lhe dizer uma coisa (um tanto religiosa, mas enfim), se você está aqui, é por algum motivo. Você foi ESCOLHIDO pra tá aqui. E mesmo que você não acredite em um Ser Maior que escolheu você dentre todos os anjinhos lá do Céu, então vamos á ciência: um bilhão de espermatozoides estavam na luta pra nascer e, tã-nã, foi você quem veio ao mundo. Isso não te diz nada? Você já nasceu vencendo, pessoa. Se isso não for alguma coisa meu nome não é Luiza Luna. (E é viu, tenho certeza, tá na certidão de nascimento.)

Espero que pelo menos alguma coisinha te ajude.

E se quiser conversar, contar um caso, falar de coração partido, cura pra espinha e como o seu irmão mais novo enche o saco, me mande um e-mail no blogcdcontato@gmail.com ou até no milkshakecontato@gmail.com;)

Bêeeeejo.

Sobre as tuas metas, sonhos e planos…

19

Meu irmão de três anos de idade, me pediu pra fazer uma capa pra ele, porque assim ele seria um herói.

Fiz a tal capa. Peguei um livro e fui pra sala. Ele ficou brincando com um capacete, meia fantasia do Batman e uma espada de plástico, correndo pra lá e pra cá… Até que ficou escuro. Só a luz da sala estava acessa.

Não sei o que ele arrumou que a espada ficou no meu quarto. Ele correu até mim e disse com voz triste:

– Minha espada tá no seu quarto, Ita.

– Vai lá e pega, herói.

– Mas eu tenho medo de escuro. – ele falou baixinho como se aquilo fosse um segredo.- E se algum monstro quiser me pegar?

Eu olhei pra carinha dele. Olhei mesmo, para aqueles olhos redondos e castanhos.

– Você é um super-herói. Você consegue vencer o monstro. Você é forte, muito forte, olha a sua capa!

Aquele pequeno com uma “capa” feita da blusa velha do meu pai, sorriu até com os olhos.

– Eu sou forte e ganho do monstro!- ele disse e correu.

Contei esse caso todo e acho que você que leu até aqui, entendeu o que eu quis dizer.

Se não, pra encurtar, é o seguinte.

As vezes, só precisamos sermos lembrados da nossa força. Dos nossos super-poderes. Da nossa capa. Independente do teu monstro ser o escuro ou algo pior, você tem que saber que pode vencê-lo. Não tem aquela frase que diz que “nada é impossível”? Então, é verdade. Se você tomar um golinho de coragem, levantar a cabeça e ir lá lutar, você vai conseguir. E se não conseguir, você tem a vida toda. Agora, se precisar de um empurrãozinho, seus amigos estão aí do teu lado. Tem muita gente ao teu redor porque quer teu bem.

Beijo, se cuida.

(Se quiser conversar me manda um e-mail vai? blogcdcontato@gmail.com)

Texto qualquer feito em um Dia Picles

Imagem

 

Estava aqui, sentada, olhando pro teto, ouvindo uma música qualquer e pensando que não somos nada e ao mesmo tempo somos tudo; o quanto a vida é infinita e pode acabar a qualquer momento; em como acredito fielmente em Deus e nem penso em me batizar. O mundo é um lugar contraditório onde dizem que se pensar positivo sua vida melhora, mas existe a lei de Murphy que diz que tudo que tiver a remota possibilidade de dar errado, dará errado; onde a rainha das chapinhas fala que meu cabelo cacheado é lindo; onde amar é repudiado e ao mesmo tempo almejado. Onde tudo que eu queria era descomplicar ao que é tão simples mas ninguém entende e eu me enrolo nas explicações; onde eu desejo tudo de bom pra todo mundo e não tenho ódio de ninguém mas não me importo com aquelas fofocas que eu sei que são mentiras mas não faço nada pra impedir e não me importaria nem um pouquinho se um pterodáctilo te arrancasse a cabeça. É. Pensar demais as vezes enlouquecesse. Mas o que fazer quando colocaram esse dia que é maravilhoso, agradeço muito por ter a ótima oportunidade de tê-lo vivido, mas daria tudo pra que ele acabasse logo, esse dia infernal que só me traz sentimento e palavras, mas tudo desconectado e sem sentido me confundindo ainda mais e expressando tudo o que eu fico tentando explicar… Bem vindo a mais uma sessão de um texto feito em um Dia Picles.

 

*P.S.: Depois explico o que é um Dia Picles.

**P.S.: Necessariamente quando eu não estiver em um. 

ImagemImagemImagem