Acabei HIMYM e Breaking Bad

bannerzinho

ACABEEEEEEEI algumas séries, amém!

Eu tenho uma dificuldade enorme em acabar as coisas. Eu sofro de procrastinação e de depressão pós-término (seja um livro muito bom ou qualquer coisa). Quando acabei Friends foi terrível, afinal era a única série que eu consegui acabar mas era a única que eu nunca queria que tivesse acabado. Fiquei um bom tempo re-assistindo até me decidir a seguir em frente, já que, graças a essa coisa magnífica chamada tecnologia, tenho a possibilidade de assistir quantas vezes quiser. Só que desde de então eu custo a gostar de alguma série pra assistir até o final ou elas realmente não tem fim nunca.

Após algumas milhões de pessoas me recomendarem How I Met Your Mother por eu ter gostado tanto de Friends, depois que uma outra pessoa (que ama a série tanto quanto eu, ou mais) me disse que realmente é uma boa série, eu pulei de cabeça. Mesmo. Acabei em poucos dias.how-i-met-your-mother-season-1-1280x960

Sinopse (AdoroCinema): Em 2030, o arquiteto Ted Mosby (Josh Radnor) conta a história sobre como conheceu a mãe dos seus filhos. Ele volta no tempo para 2005, relembrando suas aventuras amorosas em Nova York e a busca pela mulher dos seus sonhos. Ao longo do anos, Ted aproveita para falar a jornada dos seus amigos: o advogado Marshall Eriksen (Jason Segel), a professora Lily Aldrin (Alyson Hannigan), a jornalista Robin Scherbatsky (Cobie Smulders) e o mulherengo convicto Barney Stinson (Neil Patrick Harris).

Posso dizer que eu adorei a série com certeza absoluta, me identifiquei muito, aprendi muito, morri de rir e de inveja das histórias! Barney foi, de longe, o melhor personagem, o que mais me fez rir e que me fez querer abraçá-lo as vezes!

Já o final… Me julguem, eu sei que parece que eu estou torcendo pro casal errado (isso não é spoiler né?), mas não estou. Só não me desceu e eu não consigo aceitar por mais que as pessoas me expliquem suas versões racionais e que as vezes parecem que fazem sentido, mas quando olho: NÃO DÁ.

Pra quem se faz o famoso duelo Friends x HIMYM: não, a série não é igual mas se parece. Eu, particularmente, continuo tendo a primeira como minha favorita de todos os tempos, porém não desmereço a outra que também conquistou um lugarzinho especial aqui dentro, ou seja, VOCÊ PODE, SIM, GOSTAR DE FRIENDS E HIMYM!!!!1!  Pra gostar de um, não precisa odiar o outro, e compará-los não faz muito sentido (pra mim,ok?).

140624-breaking-bad-1637_c7925db7a0b86a9eac7fcab9bccd3158

Breaking Bad foi uma relação complicadíssima. Eu realmente adorei a série no começo. Mas aí eu parei de gostar e fiquei com raiva e parei de assistir. Depois recomecei e não parei mais. Ela é uma série difícil, que não te agrada em todos os episódios e que eu não recomendo a todas as pessoas. Apesar disso é muito inteligente e como a história vai se encaixando é fantástico. ODIEI como acabou (ou só ter acabado mesmo), mas também não vi outra maneira e só o que eu pude fazer foi aceitar.

Sinopse (AdoroCinema): Walter White é um professor de química na casa dos 50 anos que trabalha em uma escola secundária no Novo México. Para atender às necessidades de Skyler, sua esposa grávida, e Walt Junior, seu filho deficiente físico, ele tem que trabalhar duplamente. Sua vida fica ainda mais complicada quando descobre que está sofrendo de um câncer de pulmão incurável. Para aumentar rapidamente a quantidade de dinheiro que deixaria para sua família após sua morte, Walter usa seu conhecimento de química para fazer e vender metanfetamina, uma droga sintética. Ele conta com a ajuda do ex-aluno e pequeno traficante Jesse e enfrenta vários desafios, incluindo o fato de seu concunhado ser um importante nome dentro da Agência Anti-Drogas da região.

SPOILER:

.

.

A cena da cabeça em cima do casco da tartaruga, apesar de épica, foi chocante, nojenta, traumatizante (porque eu tenho, tinha, uma tartaruga [Cinthia <3]) e me fez dar um tempo com a série e até me precaver, já que mais cenas fortes estariam por vir.

Séries: acompanhando agora

bannerzinho

Já faz um tempinho desde que eu falei sobre séries aqui no CD.

Queria só atualizar minhas lixxxtas, e adianto que haverá um post sobre as que terminei. Digo, tem muita coisa que rolou e eu não tinha ideia de como escrever aqui, mas *puf* a inspiração apareceu hoje, grazadeos.

Stranger Things:

Não tô acompanhando mais, já que engoli tudo em um intervalo curtíssimo de tempo. A série é deliciosamente clichê mas totalmente nova. Não sei explicar. Ela me lembra muito, intencionalmente, os anos 80 e seus filmes. Mistura muitos gêneros, aventura, terror, suspense, comédia, tem aquele tipo de enredo que você já tem ideia do que vai acontecer mas quer ver, quer tomar susto e fica até um pouquinho perturbado assistindo (principalmente se você se apega fácil a personagens fofinhos). Assistam porque a fama repentina NÃO FOI ATOA.

Orphan Black: 

Indicação da minha viciada em séries favorita no mundo e eu devo confessar que já viciei (passei pra segunda temporada em um piscar de olhos). É muito inteligente e te deixa com um aperto no estômago querendo saber QUE MERDA TÁ ACONTECENDO!!1! Tem muitas pessoas bonitas, uma atriz fenomenal que faz o seriado praticamente sozinha e é bem confuso as vezes – não sei se é porque é confuso mesmo ou porque eu sou meio lerda, mas enfim. Indico também e quando acabar escrevo um textinho sobre (talvez, se eu animar). Mas quem não viu, por favor, vejam.

Narcos: 

Estou assistindo beeeem aos pouquinhos porque, além de ser bem longo, tem umas cenas meio impróprias pra assistir na sala com seu irmãozinho ao lado, junto com sua mamis. Mas, devido a minha curiosidade sobre a atuação do Wagner Moura (que foi bastante comentada) e sobre a história em si (tenho gostos bastante peculiares) vou continuar até o final (bom que lançam a segunda temporada). Por enquanto tô achando bem legal, as vezes me faz rir e duvidar se eu tô do lado certo da trama, dos mocinhos ou do bad guy.

*EXTRA* Indicação de filme no Netflix:

c79c1b7da94b81f238dc4eea5026f193e690f6ac

Assistam The Fundamentals of Caring. É um filme que lida com um assunto forte, mas trata isso de uma forma muito legal, com bastante humor. Com Paul Rudd interpretando um cara que sofreu bastante, tem um passado meio obscuro e dolorido, começa a trabalhar como cuidador de um garoto deficiente. É bem engraçado e tem uma história bem gostosinha, então se tiver atoa, faça isso por você. Ah, e se minhas palavras não convenceram você, leia esse post sobre.

Beijo galerê, até depois 🙂

 

OITNB – Season 3

season3

AVISO:
Não foi a Red que fez a comida.
Ela não tem nada a ver com isso.

Olá pessoas!

Mais uma vez estou aqui para falar-lhes sobre Orange Is The New Black! Não sobre a segunda temporada (que eu engoli faz um tempo), comecei a ver a terceira uma semana após estrear. E acabei mais treze episódios em uma semana novamente.

Estou no chão. Sério, vou ter que esperar até o ano que vem e ainda estamos só na metade desse ano!!!1!!

E como essa temporada não deixou a nada a desejar, vamos aos fatos: você encontrará algumas personagens novas que estão dando o que falar, seu coração vai quebrar e regenerar umas milhões de vezes com as histórias que essa temporada trás (as mais tristes – que me tiraram água pelos olhos – foram no episódio do Dia das Mães), são criados mais laços e amizades, críticas a dificuldades que existem nos nossos dias (como o alcoolismo e outras dependências, depressão…),um pouco mais de crítica a intolerâncias de qualquer espécie e você vai se apaixonar mais ainda pela prisão de Litchfield.

Comparando as três temporadas, arrisco dizer que a série está mais séria, tratando de assuntos mais polêmicos. Não que tenha ficado ruim, mas como se trata de uma série de comédia, acho que pecou um pouquinho nisso. Mas se eles conseguirem continuar com essa linha da terceira temporada e somarem com um pouco da ironia e humor negro da primeira, ficará perfeita a quarta temporada. Minha opinião.

Pra quem não gosta de spoilers, sugiro ir pro final do post. Obrigada.

!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!SPOILER ALERT!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Quanto a personagem nova, a Stella Carlin, achei ela bem mais ou menos. Poxa produção, pelos spoilers e comentários na página do Fb, eu garanto que esperava mais, maaaaaas, acredito que se ela continuar, teremos um tempero a mais na quarta temporada (hashtagVEM2016). Ela criou uma situação bem clichê, mas divertida: uma triângulo amoroso. Agora, ficamos dividas entre Vause e Piper ou Piper e Stella. Mas, que me desculpem as “Teams Chaplin” (estranho, eu sei), eu gosto mais da Vause.

laknv
Assim espero.

Já a saída do John Bennet me deixou muito chateada. Destruiu minha visão da Daya conseguindo a família que ela sempre quis (e merece), foi muito egoísta da parte dele simplesmente sumir e abandonar a Dayanara prestes a ter um filho. Tá, é assustador pra um cara que passou por uma guerra, perdeu a perna e trabalha numa prisão, cuidar de um bebê recém-nascido até que sua mãe saia da cadeia. Mas mesmo assim, pensei que ele era um cara legal. Você quebrou meu coração, John (pra fazer How to Get Away With Murder, outra série que entrou pra minha lista).

Nicky Nichols também fez muita falta. Ela arrasou na primeira e na segunda temporada, conquistando meu coração com suas observações um tanto sinceras e grossas. Ela sai no meio da terceira temporada. QUERO ELA DE VOLTA ANO QUE VEM OK, PRODUÇÃO!? Claro que antes de sumir da série, conhecemos seu passado e o que ela fez pra parar ali dentro.

Excited for season 3Os novos laços e grupos criados ficaram incríveis. A relação da Big Boo com a Dogget ficou lindo, lindo e lindo. A RED COM O HEALY!!!! Muito esquisito e não gostei nada, mas a relação do Caputo com a Figueroa é, ahn… Quente. Não assistam á essas cenas com as mamães por perto galerê, acho que são as partes mais “quentes” da temporada. A Taystee sendo “mãe” do grupo das negras, não achei tão divertido assim, mesmo que a série tenha endurecido (por assim dizer), amadurecido. Adorava todas as cores que ela soltava na prisão, as músicas, dancinhas e gírias que ela soltava e sua parceria com a Poussey tá fazendo falta. A Crazy Eyes, ou melhor, Suzanne como escritora e com seu bando louco de fãs atrás do Captão Rod Cocker arruma uma “namorada” ou quase isso. Falando em Suzanne… A morte eletrizante da Vee na segunda temporada não foi muito bem explorada na terceira, muito menos a fuga da Gloria. Elas eram personagens muito legais pra sumir assim!

Quanto a Burset, estou realmente adorando a personagem dela e como a sua história (que é um tanto diferente) está sendo mostrada e construída na série. O modo como ela trata a si mesma e como ela traz isso pra vida real está dando o que falar e que continue assim.

Os passados das personagens sempre me encantam. Os mais marcantes dessa temporada são os da Big Boo, Norma (até que enfim!), da Dogget e principalmente a da Nichols ❤

!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!SPOILER ALERT!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Pronto, acabou.

oitnb

https://www.facebook.com/OITNBBrasil/videos/vb.183215455178728/428380247328913/?type=2&theater

Espero que tenham gostado e que esperem comigo até a quarta temporada.

Beeeejo ❤

Séries: Orange is the new black

oitnb3

Continuando minha saga pelas séries recomendadas, acabei de ver a primeira temporada de OITNB.

Acho que estou me viciando nessas séries mais… peculiares, por assim dizer. Haha

Sabe, alguma pessoas falam que encontraram sua série preferida e tudo o mais. Eu sinceramente, acho que Friends é a minha, maaaaaaaaaaaas… essa aqui, eu mal conheço e já considero pakas.

Acabei de ficar sabendo que a série foi baseada no livro de Piper Kerman, que conta a história de como ela sobreviveu a prisão feminina. A série Orange Is The New Black trata a mesma história. Piper, uma americana, branca, loira e que tinha a vida estável financeiramente, e… agora está indo pra prisão. Ela está noiva do Larry (que é um fofo, mas meio bobo), sua melhor amiga ia ter um filho e ela estava começando um negócio muito bom vendendo cosméticos. Quando sua ex-namorada resolve denuncia-la pra polícia por participar do transporte de uma mala de dinheiro proveniente do tráfico internacional de drogas, ela se vê obrigada a encarar a dura realidade na cadeia, adiando seu casamento e o resto dos seus planos por um tempo. Logo no seu primeiro dia na prisão, ela encontra Alex, sua ~tãnã~ ex-namorada e tenta sobreviver ao ódio por ela, ao medo de algumas detentas e a vida na cadeia, que é cheia de regras, hierarquias e que me lembrou muito o ensino médio.

oitnb2

As garotas tem que lidar com a higiene precária, a falta de privacidade, de produtos que (eu, particularmente) considero indispensáveis para a sobrevivência, além de encarar a Red (chefona da cozinha que comanda os esquemas e sabe de quase tudo na cadeia), o tarado do Bigode que usa e abusa dos seus poderes como guarda do local e o Mr. Healy, um senhor meio obcecado por exterminar as lésbicas de plantão. Fora a história da Alex e da Piper, conhecemos também várias outras garotas, e ficamos sabendo um pouco do que cada uma fez pra parar ali.

Minhas personagens preferidas até agora: quase o presidio todo. Desculpa galerê, meu coração é mole e eu me apego fácil. Mas estou na torcida pela Piper, Alex, Day, Nichols, John Benner, Red, Burset, Crazy Eyes e pela Taystee… Adorei essa série porque ela me deixou pensando quase a noite toda, ela me mata de rir e faz críticas o tempo todo as pessoas, ao sistema e a vida em si. E sim, eu chorei vendo ela. Depois mando aqui pra vocês o texto que escrevi sob efeitos de OITNB.

oitnb1

A série tem quatro temporadas até agora, sendo que a quarta foi renovada antes mesmo da terceira estrear. \o/ Os episódios tem cerca de 50 minutos cada um, e a primeira temporada teve apenas 13 episódios. Aaaaaah, e a música tema “You’ve Got Time” é muito boa. Recomendo muito essa série. Não a todo mundo, porque se trata de uma série de comédia dramática e tem um pouquinho de humor negro, sexo e piadinhas sobre o mundo pop (por assim dizer).

Enfim. Com certeza irei ver a segunda temporada (que já está me matando de curiosidade!!!!11!!) e eu venho contar pra vocês. Espero que tenham gostado ❤

Séries: Breaking Bad

large (7)

Acabei de assistir a primeira temporada de Breaking Bad e só tenho uma palavra – que nem chega a ser uma palavra: wow.

Com a minha recém-adquirida conta no Netflix (obrigada, trem <3) tenho a oportunidade de ver séries e filmes agora sem ter que baixar um monte de navegador e o baidu, e sem travar e enfim, tá lindo.

large

Por recomendação de amigos (Léo, principalmente) e por ver que vários blogueiros e pessoas que eu gosto assistiam, eu coloquei a série numa lista chamada “Todo mundo fala que é bom, mas, sei lá”. Eu realmente comecei a assistir com um pé atrás, quase correndo. E, admito, que não foi um amor á primeira vista. Quando você começa a se apegar a história e a ficar curioso com o que vai acontecer… A temporada acaba. Então, não sei se me conquistou do jeito que as pessoas falaram tanto. Claro, a primeira temporada teve sete episódios de cerca de cinquenta minutos cada… Digamos que essa primeira temporada foi apenas uma degustação – assim espero – do que a série tem o potencial de ser. Aliás, do que aparentemente a série é, baseando-me nos prêmios e comentários e ao fato de que a série já acabou (com cinco temporadas) e ainda faz tanto sucesso.

Vamos falar um pouco dela então.

O professor de química Walter White é um cara meio conformado com a vida, tem uma esposa que está grávida, Skyler, e um filho adolescente que sofre de paralisia cerebral. Após ser diagnosticado com câncer no pulmão, ele aceita o convite do seu cunhado – que trabalha na DEA – ele vai fazer um passeio para ver o trabalho do cunhado, então Walter vê um ex-aluno (Jesse Pinkman) fugindo da cena de um laboratório de metanfetamina. Como Walter precisava do dinheiro para deixar para sua família, ele procura Jesse e propõe amigavelmente: trabalhe comigo ou eu te deduro a polícia. Logo, com todo o conhecimento de química e com o pensamento meio louco de não ter nada a perder, eles formam uma sociedade, compram um trailer e tentam vender a droga. Claro que tem que acontecer alguma coisa pra ficar legal. E já adianto que no primeiro episódio você já fica meio boquiaberto com algumas coisas e pensando “será?”. Quando eles realmente entram no ramo, Walter, ou Sr. White, adota o pseudônimo de “Heisenberg”, para proteger sua vida pessoal, que já é bem conturbada sem ter que lidar com metanfetamina (seja ela como “vidro” ou azul).large

A série é engraçada e mexe com a gente. O personagem Walter está me cativando demais. E o Jesse, solta um “BITCH” a cada frase. O contraste entre os dois é gritante, mas, não sei como ou porquê, eles combinam.

large (1)

P.S.: Só pra constar o ator que faz o Jesse também ajuda muito a compor o cenário da série. Porque melldells.

images (1) images (2) images

Não tenho muito o que dizer. Com certeza eu vou assistir a segunda temporada e depois eu tenho uma opinião, assim espero. E ai, galerê? Já assistiram? Me contem o que acharam, ou me recomendem mais séries e filmes pra assitir 😉

Até mais.

Séries: Once Upon a Time

ouat

Há algum tempo, numa aula de inglês de fim de ano, minha professora passou os dois primeiros episódios de Once Upon a Time. Eu achei muito legal e tudo o mais, mas não assisti pois meus recursos na época eram limitados haha! A partir de então algumas pessoas comentavam da série comigo, mas eu sou do tipo cabeça-dura e não assistia. Até que um belo dia, as pessoas (Nanda, Belli, Lavínia e Carol) começaram a falar que “ah você tem que ver” ou até “é a sua cara”. Eu fui lá ver se a coisa era boa.

Acabei a primeira temporada em menos tempo do que eu pensei que gastaria. E olha, os episódios são demorados, cada um tem em média 42 minutos, e são ao todo 22. A série foi criada por Edward Kitsis e Adam Horowitz, os mesmos escritores da série Lost e do filme Tron: o Legado e teve muitas críticas boas e um número grande de expectadores.

ouat3

A série tem uma história que pode até parecer bobinha, mas não é. Se engana quem pensa que é pura imitação e mimimi, os contos de fadas não são nada parecidos com os da Disney ou até com os das histórias tradicionais.

Em um reino, onde os personagens de conto de fadas existiam, no dia do casamento da Branca de Neve com o Príncipe Encantado, a Rainha Má, aparece pra quebrar a felicidade alheia e avisar que rogará uma maldição. Todos os personagens encantados são transportados pro mundo real e tem sua memória apagada. Na nova cidade, Storybrooke, a prefeita é a Rainha e todos os outros tem uma profissão, digamos que… adequada a sua personalidade. A única esperança de tudo voltar ao que era antes é Emma Swan, filha da Branca de Neve, que foi mandada para cá antes da maldição ser lançada. Então, no seu aniversário de 28 anos, Henry, filho dela, vai em busca de sua ajuda pra quebrar a maldição. Ele – com um livro que tem todas as histórias dos contos de fadas – tenta convencer Emma de que só ela pode quebrar a maldição (e que a maldição realmente existe).

ouat2

Achei muito legal que enquanto passam o que está acontecendo lá em Storybrook, com a Emma, o Henry e o pessoal todo, mostra também a história de cada personagem. E também da trama envolver bem mais que a parte do contodefadas-maldição e falar também das dificuldades na vida do Henry, sentimentos e relações seja entre família, entre amigos ou até com relação a aquele pretendente -v-

Meu personagem preferido é o Rumplestilskin. Ele é muito f*da, sempre um passo a frente dos outros, ele é o que ninguém espera. Aiiii, quando contou a história dele, partiu meu coração! Ele está em todas as histórias, as vezes como um dos mocinhos e outras como o vilão mais perverso de todos. Adorei o jeito como o ator conseguiu dar vida tanto pro Rumple quanto pro Mr. Gold. A risadinha do Rumple também me faz rir muuuuuuito haha! ouat4

“O amor é a magia mais poderosa do mundo” – Rumplestilskin

Enfim, as meninas até brincaram falando que cada uma do povão lá parecia com alguém, e falaram que eu parecia com a Bella. Antes de assistir a série, eu achava até legal – baseado nos meus conhecimentos by Disney. Agora que eu assisti, beeeem. Digamos que os únicos episódios que eu vi ela, ou ela era meio abobada ou estava descabelada e presa num manicômio. Enfim, a Exposição de Trabalhos na minha escola ano passado, teve como tema seriados. E o meu grupo ficou com OUAT, realizando meu sonho de infância de me vestir de princesa haha!

ouat5

Enfim. A série é muito boa, realmente vale a pena ver, e fica mais legal ainda quando você conhece um pouquinho mais os personagens e tenta adivinhar quem eles são no mundo fictício!

Assistam!

Bj

#10AnosSemFriends

SEM DÚVIDA MINHA SÉRIE PREFERIDA.

Friends estreou em 1994 e seguiu com o total de 10 temporadas até 2004, e hoje completamos 10 anos sem Friends.

Rachel Green (Jennifer Aniston), Monica Geller (Courteney Cox), Ross Geller (David Schwimmer), Chandler Bing (Matthew Perry), Phoebe Buffay (Lisa Kudrow) e Joey Tribbiani (Matt LeBlanc) são os protagonistas da série e cada um é apaixonante.

Cada episódio nos ensina alguma coisa e nos faz rir bastante, diga isso pro Chandler,sério nos faz rir bastante. É uma série única. Os episódios são curtinhos e tratam de assuntos da vida dos seis amigos e que sempre surgem em qualquer conversas, como a vida amorosa de cada um, planos para o futuro, conselhos, trabalho e coisas sem sentido ou noção alguma, que brotam do nada.

Os personagens: Bem, as garotas, divas e lindas. Monica era gordinha quando adolescente, virou um mulherão e chefe de cozinha, viciada em limpeza, que tem um enorme desejo de ser mãe e se casar, mas possui uma vida amorosa um tanto frustrante para os seus planos. Phoebe tem um estilo meio hipponga, é divertida, fofa, canta músicas viciantes e sem fundamento (como Smelly Cat), é muito diferente do normal, louca e excêntrica, com uma vida muito louca, uma irmã gêmea malvada, mas um auto astral e um bom humor contagiante, sincera e amiga… aaaai ela é unica. Rachel é a ex patricinha, filhinha do papai, que teve que sair do conto de fadas e aprender a lidar com a vida real, mas isso não significou abrir mão das compras, sapatos e seu jeito mimado, mas apesar disso, ela tem um coração gigante e apaixonado pela vida e pela liberdade recém conquistada. 

 Os garotos, meodeos. Ross é o nerd, fofo, irmão mais velho da Mon e o preferido da mãe, inteligente, romântico, viciado em casamentos e dinossauros, com um humor próprio e uma paixão meio platônica pela Rachel, é charmoso e chato e apaixonante e… Chandler é o piadista, com a infância traumatizada pela separação dos pais (por um motivo ‘o’), que odeia Ação de Graças, tem um emprego de… hm… ah, é uma fofura com a vida amorosa marcada pela Janice e outros erros. Joey é o ator, que vive sem dinheiro e com muita fome, tchutchuco, fofo, engraçado, lindo, meio inocente, com fama de pegador e um jeito lerdinho e ingênuo encantador.

Ainda tem os marcantes personagens secundários, como a Janice (Oh. My. God.), a Úrsula (irmã gêmea do mal da Phoebe), as irmãs mais novas da Rachel, o Gunther… Fora as grandes participações especiais de atores como Julia Roberts, Brad Pitt, Arnold Shwarzenegger e vários outros. 

Não tenho um personagem preferido porque amo cada um de um jeito diferente, mas gostei de ver o amadurecimento da Rachel durante o passar dos anos, além de eu ser apaixonada pela Jennifer Aniston, e o Joey com o “HOW YOU DOING?” com o olhar me conquistou.

Ah! EU AMO ESSA SÉRIE! Assistam pessoas!

Passa todas as tardes na Warner, além de encontrar online e pra download na internet, e o box com todas as temporadas e não tem como não ver.

*P.S.: Quem quiser me dar algum presente, estou aceitando coisas de Friends ok? 

**P.S.: Pode ser o box, eu deixo.

Agora, algumas imagens que eu peguei dessa série linda.

ImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagem