Imagine (primerísima tatuagem)

15175342_1136369446449037_517792994_n.jpg

Há ANOS eu escrevia de canetinha a palavra “imagine” no meu pulso. Agora, ela vai ficar pra sempre!

Fiz ela em um estúdio em Contagem/MG (super recomendo Tattoo Network), no dia 26 de novembro de 2016. Estava sendo uma fase péssima, eu não tinha feito nada que queria e/ou tinha planejado, e como acredito nesse poder que o aniversário possui, tentei marcar para o dia 23. Como o ano já estava contra mim, não consegui pro dia do meu aniversário, mas para três dias depois (apesar de também acreditar no misticismo do número três). Fiquei ansiosa, pensei em desistir já que ainda não tinha contado pros meus pais, pensei em fazer já umas três de uma vez só…

Quando chegou o dia, Cho Paulo, meu namorado, me larga sozinha no estúdio. Eu resolvi tudo direitinho com o César (ou Bito), ele me mostrou todos os materiais que seriam descartados depois, me disse que eu teria que dar uma distância de dois dedos da dobrinha do pulso para evitar de “estourar” e riu demais quando comecei a gritar CARALHO NÃO DÓI.Sinceramente, NÃO DÓI. Pelo menos não do jeito que a gente pensa. Dá uma queimadinha, parece que estão arranhando o seu braço, mas nada insuportável. Claro que tem diferenças de pessoa pra pessoa, de lugar pra lugar, mas se é o medo da dor que te impede de realizar o seu desejo de se tatuar: vai nessa que cê aguenta.

Porque raios eu tatuei “imagine”??!
Desde criança uma das coisas em que eu mais me destacava era no quesito imaginação. Eu sempre gostei de escrever, inventar, desenhar… tudo o que estava ligado a imaginação, criatividade, eu estava lá. Quando cresci, descobri minha paixão pela Publicidade e um dos quesitos que eu considero necessário para um publicitário (baseando-me rigorosamente em nada) é a criatividade. Também, acrescenta-se o meu amor pela música Imagine.

Enfim. Não ficou cara. O Bito me cobrou R$120,00 reais por ela+o retoque. E sim, eu tive que retocar por diversos fatores, mas no mais foi por causa da região e porque a tattoo é de traço fino (pelo menos foi o que deu pra entender).Eu amei o resultado. 15878746_1168287876590527_1828485399_n.jpg

 

Temos que nos perder, para nos encontrar

Imagem de girl, vintage, and indie

Se não vai cair de cabeça

nem se atreva

não vou nem ligar, afinal, é só mais um fim

no meio desses montes de histórias românticas

tínhamos tudo pra dar certo

mas então você me fez escolher

meu bem, sempre será eles

porque com eles não tem final

e se tiver, é feliz

porque com eles minha loucura não é problema

posso ser eu mesmo, sem julgamentos, sem vergonha

sou louca

e moro num hospício

minha história parece alucinação

e meus amigos são insanos

se não vai cair de cabeça

se afogar, sem controle de nada

nem se atreva

morrerá são, seco e sozinho

e eu, cheia de amigos e histórias pra contar

tudo seu é planejado

e eu gosto de deixar acontecer

porque você faz rotas e segue metas

faz passeios e só vai em pontos turísticos conhecidos

e eu gosto de caminhar pelas vielas anônimas

e aproveitar a beleza simples

gosto de fazer meu próprio caminho

e assim eu me divirto

você morrerá cheio das mesmas fotos

postadas em peso nas redes sociais

eu morrerei completa

afinal temos que nos perder

para nos encontraR.

O que planejo ter na minha casa do futuro

large (1).jpg

LISTAAAAAAA de coisas bem hipotéticas, porque sonhar ainda é permitido, né.

  • uma janelona em qualquer lugar da casa que tenha uma vista bonita (nem que eu faça um painel pra colocar lá)
  • uma cozinha grande, afinal é o melhor lugar da casa
  • banheira
  • uma estante para os meus livros amados
  • uma varandinha pro Jhonny e pra mim ficar ~de boas~
  • umas plantinhas
  • PISCINA
  • um chuveiro daqueles com várias duchas
  • bancadas na cozinha pra eu encher de coisas (igual eu faço no The Sims)
  • muitos e muitos e muitos quadros e fotos na parede
  • almofadas coloridas e pufs na sala
  • uma parede de alvenaria
  • barzinho, SIM
  • uma balanço em algum lugar, seja na varanda ou no meio da sala
  • um closet ou armário embutidos
  • um escritório barra ateliê barra estúdio
  • muitas coisas feitas com madeira escura
  • uma “sala de jogos”, com sinuca (mesmo eu não sabendo jogar direito), muitos jogos de tabuleiro em um armário gigante e vários vídeo-games (porque todos os que a gente já teve aqui em casa eram de todo mundo menos meu)
  • móveis diferentões, tipo aquelas poltronas de jornal e aqueles móveis que a gente vê em feiras
  • vários bonequinhos Funko
  • uma parede de lousa na cozinha juntamente com uma parede de cortiça (pra pregar telefones de deliverys)
  • um espaço na cozinha só pras minhas canecas – que já são muitas, mas aumentarão
  • um mapa Mundi em algum lugar
  • um quarto de bagunça – em que eu guardarei minhas maluquices, DIY’s que enjoei temporariamente e outras bagunças
  • caixas
  • um edredom gostoso, gordo e macio
  • tapete peludo
  • roupas de camas legais
  • muitas, muitas luzes
  • quarto de hóspedes
  • uma árvore (que eu mesma quero plantar)
  • uma janela “que tenha um espacinho antes de acabar” (tipo a dos filmes, sabe?

Acho que deu por hoje. E vocês, já planejaram alguma casa futura?

Sessão pipoca: primeiros filmes do ano

large (4).jpg

Hoje eu não acordei muito bem. Odeio esses malditos Dias Picles que insistem em surgir no meu calendário, me trazendo medos de coisas que não existem, inseguranças e uma vontade enorme de chorar assistindo filmes que eu sei que vão ligar o “on” na minha fábrica de lágrimas.

Primeiro, eu quis assistir o filme que a Fernandíssima mais me indicou em, pera, todos esses anos desde que lançou? Sim. A Escolha Perfeita adoçou um pouquinho o meu dia amargo.

large (3).jpg

Sinopse do AdoroCinema: O The Barden Bellas é um grupo formado apenas por garotas, que apostam no visual perfeito e em sucessos pop para atrair o público da escola. Entretanto, após uma apresentação desastrosa na competição de fim de ano, suas integrantes decidem repensar o grupo. É quando surge o convite para que Beca (Anna Kendrick), uma DJ aspirante que não tem o menor interesse na vida colegial, integre a nova banda. De início Beca descarta completamente o convite, mas após conhecer Jesse (Skylar Astin), que integra uma banda formada apenas por garotos, ela resolve aceitar o convite e passa a ajudar as integrantes do The Barden Bellas a encontrar um novo visual.

É um filme maravilhoso, daqueles gostosos que descem como água? É muito engraçado, diferente (tá, bem mais ou menos: é um musical, da faculdade, mas os cantores são cantores acapella) e te deixa com vontade de cantar junto.

Porém, me deixou com saudades de todo mundo. Quando me disseram que você nunca vai esquecer o seu Ensino Médio, não acreditei nadinha. Pensei que fosse apenas passar, como todos os anos até ali. Mas o último ano, mesmo que não tenha sido maravilhoso nos termos convencionais, foi maravilhoso pra mim, a sua maneira. E quanta gente deixou meu coração pequenininho com a promessa de “nos vemos um dia”…

Enfim. Como não consegui soltar aquele nó na garganta e sim aumentando ainda mais, comecei a ver Simplesmente Acontece, com a Clary de Cidade dos Ossos (LEIAM O LIVRO, ESQUEÇA O FILME) e com o Finnick  de Jogos Vorazes.

Aí, o chororô reinou. Estou degustando devagar a mensagem do filme e acho que só vou conseguir engolir amanhã.

mn.jpg

Mais uma do AdoroCinema: Os jovens britânicos Rosie (Lily Collins) e Alex (Sam Claflin) são amigos inseparáveis desde a infância, experimentando juntos as dificuldades amorosas, familiares e escolares. Embora exista uma atração entre eles, os dois mantêm a amizade acima de tudo. Um dia, Alex decide aceitar um convite para estudar medicina em Harvard, nos Estados Unidos. A distância entre eles faz com que nasçam os primeiros segredos, enquanto cada um encontra outros namorados e namoradas. Mas o destino continua atraindo Rosie e Alex um ao outro.

O filme é bem parecido com o meu queridinho “Um Dia”mas ao mesmo tempo é bastante diferente. Tem a história dos amigos desde sempre que se apaixonam mas não querem estragar a amizade com os próprios sentimentos, então seguem a vida levando aquela amizade (que é bem na cara que não é só aquilo), levando vidas superdiferentes. Também me fez querer ler o livro (mesmo que a autora seja a mesma que escreveu o péssimo P.S. Eu Te Amo).

Eu me apaixonei pelos dois e recomendo a você, que talvez esteja num Dia Picles, ou melhor, PEPINO.

Motivo: conto pra vocês em outro post. Beeeijo ❤

E as metas de 2014 para 2015…

large (1).jpg

Sobre as metas do ano passado:

ο Parar de beber refrigerante. Eu digo com muito orgulho que parei. Consegui. Estou eu aqui diante de vocês com um enorme copo de suco brindando essa pequena conquista. Sério!!!1!

ο Ler mais. Acredito que sim, eu li mais esse ano. Bom, no finalzinho dele. Tanto que minhas prateleiras vão precisar de uma organização geral porque não cabe mais tanto livro ❤

ο Aproveitar meu último ano e também estudar bastante. Aproveitar eu aproveitei, estudar eu tentei. Quando vi que os meus modos de estudo são bastante peculiares mas são o meu meio para aprender, me rendi a eles. Sabe, cada um tem o seu jeito de aprender, seja escutando, lendo, escrevendo… Eu aprendo com musiquinhas e piadinhas, conversando sobre a matéria e vendo qual é a utilidade daquilo no dia-a-dia (que explica também minha dificuldade em algumas matérias).

ο Começar a fazer um curso. Eu entrei no curso de fotografia, porém ocorreram algumas coisas e eu tive que abandoná-lo. Mas EU JURO que não foi por preguiça ou honrando minha mania de abandonar as coisas que eu começo.

ο Fotografar mais. EU TIREI FOTO BAGARAI. Meu Instagram e o Facebook estão maravilhosos.

ο Terminar o que começo. Estou conseguindo. Tanto que meus 12 meses sem refrigerante são provas vivas disso. Também minhas pinturas, projetos e ideias. Estou orgulhosa de minha pessoa.

ο Fazer alguma viagem. Não foram muitas, mas fui em Atibaia com meu namorado (e adorei), fomos em Tiradentes e São João Del-Rei com a escola e no último fim de semana de novembro fui pra Ouro Preto!

ο Ter outro bichinho de estimação. Pirulito, meu peixe, morreu. Ele meio que se suicidou com as pedrinhas do aquário ou sei lá. Maaaas, eis que dia 28 de Agosto, os filhotes da Valentina (cachorrinha da Carol), nasceram. Eu como boa tia fui visitá-los e fiquei apaixonada com eles. Ariel, Anttonela, Atena e “Apolo” eram lindos, com olhos enormes e pancinhas manchadas. A criatura de quatro patas e peluda que conquistou meu coração e foi pra minha casa dia 15 de setembro foi o Jhonny (antigo Apolo). E EU ESTOU EM AMOR ETERNO POR ELE ❤

ο Meu quarto do meu jeito. Não rolou. Por falta de dinheiro, tempo e paciência, meu quarto continua o mesmo. Talvez com mais bagunça e com mais coisas na parede, mas sem mudanças mais radicais.

ο Fazer o Carpe Diem crescer ainda mais. Ha. Não deu né galerê. Mas estou com uns projetinhos em andamento. Por motivos de falta de tempo por causa da escola, e que grazadeos ano que vem vai sobrar (eu acho), não podia ficar postando muita coisa e estando mais presente aqui no blog. Ano que vem #vemcursinho, ou seja abandonei o CD atoa mesmo.

Então, foi isso pessoas. Verei se faço minhas metas pro ano que vem depois, porque foi muito divertido ao longo dos acontecimentos eu ir cortando mentalmente as coisas que aconteceram conforme eu queria. Dá uma sensação de trabalho feito, como por exemplo na meta de parar de beber refri, que era uma coisa que só dependia de mim, e também uma felicidade estasiante quando acontece algo de repente mas que estava nos seus planos, como no caso do Jhonny ❤

Enfim, beeeeeeeeeejo galerê

 

Meu filhote (de quatro patas)

Quando meu primeiro cachorrinho faleceu de velhice, pensei que nunca mais estivesse pronta para receber um novo animalzinho. Mas logo meu irmãozinho sentiu falta de um bicho e vieram o Pirulito, PeixeItaRaphael e a calopsita do meu outro irmão. Porém, os peixinhos também morreram e digamos que uma calopsita não é bem o amiguinho perfeito para uma criança- pelo menos a Anívia não é.

A Carol (falei dela e da Valentina nesse post aqui), me deixava bem informada sobre a gravidez da Valentina, e quando nasceram os filhotes, a tia Lubs aqui foi logo visitá-los. Eram todos maravilhosos, porém o único macho da ninhada me chamou muito a atenção. Ele logo veio a ser minha paixão platônica canina e tive que pelo menos tentar falar sobre ele pros meus pais.

11910259_1619557028295820_1543208973_n

No dia 15 de setembro ❤ meu amorzinho peludo chegou aqui. O Jhonny não foi bem aceito aqui em casa logo de início. Houveram brigas sobre o nome (eu queria Jhonny, minha mãe Tony e meu irmãozinho Hulk), sobre onde ele iria ficar e como iríamos ensiná-lo que o tapete da sala não é um banheiro.

Tivemos que ir várias vezes ao veterinário e passar longas semanas sem passear com ele ou sequer andar com ele no pátio. Enfim o cartão de vacinas ficou completo e ele pode sair. Descobri que a raça Shitzu é bem manhosa, preguiçosa e lerdinha. Porém acho que o Jhonny é a exceção dessas regras, até o veterinário comentou.

Na primeira semana a caminha (azul com ossinho pretos e almofadinha fofa) foi pro lixo com espumas vazando. Tive que arrumar o primeiro brinquedinho bem rápido por causa dos dentinhos minúsculos que apontavam.

12081274_1669463189965087_616450018_n

De manhã eu costumo deixá-lo no terraço, fechar a porta de vidro e colocar a ração na vasilha pra ele comer. Um belo dia, quando coloco o Jhon pra fora, ele some correndo. Aproveitei a deixa e fechei a porta, enchendo a vasilha, quando, de repente, parece que ele ouviu o barulho ou sentiu o cheiro e veio correndo com tudo dando de focinho na porta de vidro. Eu ri umas horas, e ele olhando sem entender muita coisa e tentando tomar coragem pra encostar no vidro.

Digamos que meu bebê preto e branco me fez bem. Eu fico muito sozinha aqui em casa e o Rapha também e nós só nos encontramos em horários diferentes por causa da escola. Então agora ambos temos companhia. Além disso, é gostoso ser recebida com pulinhos e lambidas e festinha canina. Ter alguém pra cuidar e que te ama só porque você tá ali, que não liga se sua unha tá roída ou seu cabelo tá embaraçado ou a sua roupa tá furada.

Amigos animaizinhos fazem bem pra saúde, pra alma e pro mundo ❤

 

Sobre: Moulin Rouge – Um amor em vermelho

k.ljvhfUm escritor pobre. Uma dançarina de cancan. Um duque. Um mundo maravilhosamente mágico e obscuro com personagens do submundo parisiense.

O escritor, Cristian, muda-se para Paris em busca de uma história sobre o amor. Inesperadamente um homem fura seu telhado no quarto de hotel e assim sua história se envolve com a do Moulin Rouge. Como é um escritor e o pessoal do Moulin Rouge precisava de uma peça, tudo veio a se encaixar. Nesse mesmo dia é apresentado a Satinne, a dançarina sonhadora. Mas também nesse mesmo dia, o chefão do MR iria apresentar Satinne ao Duque e ela terá de envolvê-lo afim de fazê-lo bancar o MR.
Surge a partir daí um triângulo amoroso. Cristian, Satinne e o Duque.
Satinne e Cristian se apaixonam instantaneamente e eles levam seu amor escondido durante os ensaios da peça. Mas o Duque fica cada vez mais enciumado por não ter Satinne do jeito que queria. E assim vai, até que no último dia do ensaio, fica claro para o Duque que ele nunca teria Satinne se Cristian ficar no caminho.
O filme é bom. Tem muita cantoria e danças e essas coisas dramáticas, mas é bom. Achei interessante como falam de si mesmos como pessoas diferentes do resto do mundo, se tratam como “criaturas do submundo”. Achei legal essa expressão.
kçilhgktf
Gostei também por não ter um final óbvio, um final que todos esperam. No meio do filme tem uma coisa que muda a história toda, e traz a ela um toque trágico. Mas, como é uma história de amor, como não ter tragédia?
Enfim, vale a pena ver.
mnbvcfgtyui